O que faz uma Banca de Peixe numa Estação de Comboio?

80% do lixo que vai parar ao mar é atirado para o chão em terra

A Associação Bandeira Azul da Europa juntou-se à Tabaqueira, ao Município de Oeiras, à Comboios de Portugal e à Infraestruturas de Portugal numa campanha de sensibilização com o objetivo de alertar para a urgência de mudar comportamentos, uma vez que 80% do lixo marinho tem origem em terra.

Se o lugar de uma banca de peixe não é numa estação de comboio, o do lixo também não é no chão, porque tudo o que deixamos em terra acaba no mar.

“Não devemos deitar os plásticos (e as pontas de cigarro) para o chão, para as sanitas, para as sarjetas e outros locais inapropriados que, mais tarde ou mais cedo, vão parar ao mar. Ou seja, não são apenas os detritos deixados nas praias que acabam no mar, são também aqueles que são largados nos espaços públicos e centros urbanos que acabam por ter o mesmo destino” afirma Catarina Gonçalves, Coordenadora Nacional do Programa Bandeira Azul, que acrescenta “é essencial sensibilizar o público em geral para a importância da proteção das praias e dos oceanos das agressões ambientais de que são alvo diariamente. Pede-se aos cidadãos, incluindo os fumadores, que adotem ações para reduzir a poluição por plásticos em ambientes urbanos, costeiros e marinhos já que este problema afeta todos os oceanos.”

Para a Tabaqueira a proteção do ambiente é um dos pilares da sustentabilidade, nas palavras do seu Diretor-geral, Miguel Matos “A questão da educação ambiental tem sido uma preocupação nossa. Entre outras iniciativas, no passado a Tabaqueira em parceria com a ABAE e os Municípios de Sintra, Porto Santo e Praia da Vitória, lançaram uma campanha-piloto de sensibilização ambiental que decorreu em 11 praias e pretendeu consciencializar os fumadores adultos da importância da sua contribuição para um ambiente mais cuidado, protegendo os oceanos, ao apagarem os seus cigarros sem deixarem marca colocando-os em cinzeiros.”

Oeiras é o primeiro município parceiro nesta campanha e é pioneiro neste tipo de ações, tendo sido, aliás, associado o hashtag de uma campanha anterior à que agora irá decorrer. #QUEBREOHÁBITO foi uma iniciativa lançada pelo Município e que tem tido um papel ativo na sensibilização da população para a proteção do ambiente, tendo iniciado há 15 anos a sensibilização aos banhistas para a não deposição de pontas de cigarro no areal. “Esta consciencialização tem de ser contínua e, por isso, faz todo o sentido unir esforços para algo que é comum: proteger os oceanos e as nossas praias” refere o Presidente de Câmara de Oeiras, Isaltino Morais.

Também a CP – Comboios de Portugal e a IP – Infraestruturas de Portugal, parceiros desta iniciativa, expressam a sua vontade e empenho em contribuir para as causas ambientais de educação e promoção de boas práticas.

Nas estações de Algés e Oeiras, onde a peixeira apregoou o “salmão com sabor a poluição”, o “peixe fantástico cheio de plástico” ou o “atum de luxo com palhinhas no bucho”, foram distribuídos marcadores de livros em formato de peixe, “beatinhas”, que são cinzeiros para os fumadores colocarem as pontas de cigarro, e t-shirts com os pregões da campanha. A ação, que decorreu nas horas de ponta dos dias 20 e 21 de Dezembro, contribuiu para a sensibilização de mais de 3000 passageiros e contou com a presença de outros movimentos que trabalham estas questões como a Plasticus Maritimus ou a Missão Beatão.  

A campanha agora lançada é mais um passo de sensibilização e transmissão de boas práticas ambientais que resulta de uma união de esforços pela proteção do ambiente em geral e dos oceanos em particular e que prosseguirá ao longo de 2019 também a nível nacional.

X